Siga o Suporte Ninja por email

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Comunicação digital feita de cérebro para cérebro em experiencia



Comunicação binária cérebro a cérebro feita pela internet                                                                       [Imagem: Carles Grau et al. – 10.1371/journal.pone.0105225]

Comunicação digital feita de cérebro para cérebro em experiencia de uma equipe internacional de pesquisadores, Comunicação binaria do cérebro 


Uma equipe internacional de pesquisadores demonstrou uma nova forma de comunicação cérebro a cérebro via internet na qual os dois voluntários estavam a 7.800 km de distância um do outro.







Na demonstração, a palavra “hola” – olá, em espanhol – gerada pelo primeiro voluntário, em Thiruvananthapuram, na Índia, foi recebida pelo segundo voluntário, em Estrasburgo, na França. A palavra gerada pelo emissor foi captada por um capacete de eletrodos, que registra alterações eletroencefalográficas do cérebro, gerando um código binário correspondente. O emissor não pensou na palavra, ele efetuou movimentos com as mãos – que são detectáveis pelo eletroencefalograma – para representar cada 0 e cada 1 até formar a palavra hola inteira.


O código, como qualquer outra mensagem via internet, foi então transmitido até o computador do receptor. O receptor captou a mensagem por meio de uma interface computador-cérebro que transformou os 140 bits que compõem a palavra em “fosfenos” – piscadas de luz. O voluntário entendia uma piscada como um 1 e uma falta de piscada como um 0.


A seguir, foi só decifrar o código binário e ver o que ele representava.


O experimento foi repetido 10 dias depois com a palavra ciao (tchau).







Interpretação consciente


“Nós obtivemos uma comunicação cérebro a cérebro consciente,” disse Carles Grau, da Universidade de Barcelona, e principal idealizador do experimento. “De fato, nós podemos usar o termo transmissão mente a mente porque ambos, o emissor e o receptor humanos, participaram conscientemente,” defendeu ele.


Segundo a equipe, experimentos como este são “um importante avanço tecnológico que abre novas rotas de pesquisa, como a transmissão direta e não-invasiva de sentimentos e emoções, ou a conexão direta de sensores externos (informações gravadas não acessíveis aos órgãos sensoriais naturais) com o cérebro humano por meio de estimulação não-invasiva do cérebro”.


Parece uma previsão otimista, ao menos no estágio atual da tecnologia. Afinal, transformar uma emoção em código binário parece algo bem mais desafiador, pelo menos com o uso especifico desta tecnologia.



Bibliografia:Conscious Brain-to-Brain Communication in Humans Using Non-Invasive Technologies

Carles Grau, Romuald Ginhoux, Alejandro Riera, Thanh Lam Nguyen, Hubert Chauvat, Michel Berg, Julià L. Amengual, Alvaro Pascual-Leone, Giulio Ruffini

PLoS ONE

Vol.: 9(8): e105225

DOI: 10.1371/journal.pone.0105225