Siga o Suporte Ninja por email

domingo, 21 de junho de 2015

Tecnologias de espionagem que mesmo offline não podem ser interrompidas



Tecnologias de espionagem que mesmo offline não podem ser interrompidas


Tecnologias de espionagem que não podem ser interrompidas mesmo no modo offline




Qualquer sistema que está conectado à Internet está sempre sujeito a ameaças, não importa o quão bem ele esteja protegido (algo que a maioria dos adolescentes sabem hoje em dia). Já não há barreiras de software que possam evitar os erros humanos em um programa ou código de comportamento dos usuários.







É por isso que os dispositivos com funções de especial importância ou que contenham informações secretas geralmente não estão conectados à Internet.


É sempre melhor aceitar os inconvenientes do que enfrentar consequências desagradáveis.


É assim, por exemplo, como os sistemas de controle para grandes objetos industriais ou alguns computadores bancários são protegidos.


Pode parecer que sair do virtual para o modo offline manteria qualquer segredo seguro: se não há conexão com a Internet, então não há nenhum vazamento de dados. No entanto, esse não é o caso. As técnicas de transferência de dados a distância adotadas há muito tempo pelos serviços secretos se tornam mais acessíveis a cada ano para os usuários “comerciais”. Muito poucos aparelhos de espionagem à la James Bond estão se tornando cada vez mais comuns.


Tecnologias de espionagem eletromagnética


Tecnologias de espionagem que mesmo offline não podem ser interrompidas







Qualquer dispositivo operacional que está ligado a uma linha de energia gera radiação eletromagnética que pode ser interceptado pelas tecnologias comprovadas. Quase meio século atrás, os serviços de segurança do Estado dos EUA e da URSS estavam preocupados com tais vazamentos, e as informações que tinham sido obtidas naqueles dias era muito importante. Algumas partes da atividade estadunidense são conhecidas sob a abreviatura TEMPESTAD, e alguns arquivos desclassificados poderiam ser tão bons quanto os romances policiais.


No passado, o elo mais fraco eram os monitores CRT e os cabos VGA não blindados. Nos últimos anos, os teclados tornaram-se os brinquedos favoritos para os investigadores de segurança


Apesar da longa história, apareceram novos métodos de ondas eletromagnéticas ao mesmo tempo que os equipamentos elétricos evoluem. No passado, o elo mais fraco eram os monitores CRT e cabos VGA não blindados que produziam ruído electromagnético. Nos últimos anos, os teclados tornaram-se os brinquedos favoritos para os investigadores de segurança. A investigação nesta área tem sido constantemente produtiva. A seguir, alguns exemplos.


As teclas podem ser rastreadas a distância com alta precisão nos 67 pés (20 metros) de distância usando um dispositivo caseiro que analisa o espectro de radiofrequências e que custa em torno de US $ 5.000. É interessante saber que o ataque é igualmente eficaz para os teclados comuns com USB, os teclados sem fio (mais caros) com uma criptografia de sinais e teclados de notebook embutidos.


Todos os dispositivos funcionam com o mesmo princípio e geram ruído eletromagnético. A diferença está na potência do sinal, que depende do comprimento do fio de transmissão de dados (que é o mais curto para computadores portáteis).


Os dados podem ser interceptados mais facilmente se o computador de destino está conectado à linha de alimentação. As flutuações de tensão que correspondem às teclas digitadas criam ruído na linha de terra. Tal ruído da linha pode ser interceptado por um hacker conectado à uma tomada de energia próxima. O preço para o equipamento com o alcance efetivo de 50 pés (15 metros) é de R $ 500.


Mas, como enfrentar essas tecnologias?


A melhor proteção contra espiões eletromagnéticos pode ser alcançada mediante a blindagem do quarto (uma jaula de Faraday) e através dos geradores especiais de ruído. Se seus segredos que não são tão caros, e você não está pronto para cobrir as paredes de seu porão com papel alumínio, você pode apenas usar um gerador de ruído “manual”: escreve caracteres redundantes esporadicamente e excluí-los depois. Você pode usar teclados virtuais ​​para inserir dados valiosos.


Tecnologias modernas de espionagem é melhor tomar cuidado com o laser!


Tecnologias de espionagem que mesmo offline não podem ser interrompidas


Existem tecnologias alternativas que funcionam bem para keylogging (uma forma de obter informação dos computadores). Por exemplo, o acelerômetro de um smartphone que descansa perto do teclado fornece uma classificação de 80% aproximado de precisão de qualificação do reconhecimento. E não é bom o suficiente para interceptar as senhas, mas o texto pode ser decifrado. O método baseia-se na comparação da vibração dos pares de impulsos sucessivos que correspondem às pulsações das teclas.


Um raio laser, discretamente dirigido para o computador, é um método ainda mais eficaz para registrar vibrações. Os investigadores asseguram que cada tecla gera o seu próprio padrão de vibrações. Para isso, o laser deve ser dirigido para uma parte de um caderno ou um teclado que reflete a luz bem: por exemplo, no logotipo do fabricante.


Como enfrentar essas tecnologias modernas?


Esses métodos só funcionam nas imediações. Tente não deixar espiões perto de você.


Ouvir o rádio


Tecnologias de espionagem que mesmo offline não podem ser interrompidas


Interceptar uma entrada de teclado não é sempre útil, uma vez que é impossível acessar a memória de um computador. No entanto, é possível infectar um computador offline com malwares por meio de um meio externo. Aliás, foi assim que o famoso worm Stuxnet infectou o computador da sua vítima na infraestrutura de enriquecimento de urânio. Depois da infecção, o malware funciona como um espião interno de dados através de um determinado meio físico.


Por exemplo, os pesquisadores israelenses desenvolveram um software que modula a radiação eletromagnética no hardware do seu PC. Este sinal de rádio muito forte pode ser recebido inclusive por um receptor FM padrão no telefone


Por que as complicações? Os computadores com dados classificados são colocados dentro de quartos bem blindados com acesso limitado a eliminar eventuais vazamentos. Um telefone espião pode ser trazido para dentro ao contrário de um analisador de espectro.


Como enfrentar essas tecnologias modernas?


Todos os telefones móveis, para não mencionar os equipamentos mais suspeitos, devem ser deixados fora da sala blindada.


Quente, mais quente! Arde!


A equipe israelense citada demonstrou recentemente um cenário mais peculiar de roubo de dados por meio das emissões de calor! O princípio do ataque é o seguinte: dois computadores ficam próximos uns dos outros (até 15 polegadas, cerca de 40 centímetro de distância) e os sensores de temperatura internos da placa-mãe de um dos computadores controla as mudanças de temperatura do outro.


O malware ajusta periodicamente o nível de carga do sistema e, portanto, produz um sinal de calor modulado. O segundo computador lê e decodifica e envia os dados através da Internet

Os computadores com Internet afastados são colocados ao lado de outros, também conectados, com o objetivo de dar mais comodidade com mais frequência, e isso não é ficção. O computador isolado contém dados confidenciais; o outro é um computador comum conectado à Internet.


Então, se alguém infecta ambos os sistemas com malware, então acontece o seguinte. O malware lê dados classificados e a temperatura do sistema muda periodicamente mediante o ajuste do nível de carga e produzirá um sinal modulado de calor. O segundo computador leria e decodificaria e enviaria os dados classificados através da Internet.


A inércia térmica do sistema impede a transmissão de dados rápido. A velocidade de transmissão é limitado a oito bits por hora. A este ritmo, é possível roubar uma senha; no entanto, um roubo do banco de dados massivo é algo que colocaos em dúvida.


No entanto, com a popularidade de aparelhos dependentes da Internet, o papel do segundo computador que drena os dados podem ser preenchidos por um condicionador inteligente ou um sensor de controle de temperatura capaz de registrar as mudanças de temperatura com maior precisão. A velocidade de transferência também poderia aumentar no futuro mais próximo.


Como enfrentar essas tecnologias modernas?


Não coloque o computador offline com dados classificados ao lado de outros computadores conectados à Internet.


Toc, toc. Quem está aí?


Um quarto clássico bem blindado não garante a proteção completa contra vazamento de dados. Para o ruído eletromagnético, o escudo de aço é impermeável; não tanto pelo ultra-som.


No caso da tecnologia de ultra-som, os equipamentos de espionagem estão representados em duas unidades compactas. Uma unidade é discretamente colocada no interior do quarto classificado, enquanto que o outro em algum lugar fora dela. A velocidade de transferência de dados através do aço para o ultra-som atinge até 12 MB. Além disso, nenhuma fonte de alimentação é necessária para uma das unidades, dado que a energia é transmitida juntamente com os dados.


Como enfrentá-la. Se você tem sua própria sala de aço classificada, em seguida, todo o equipamento instalado deve ser minuciosamente inspeccionado.


No geral, a consciência e o conhecimento de técnicas modernas de espionagem (pelo menos de acordo às normas públicas) podem fazer que seus dados permaneçam intactos. Uma solução de segurança forte também é algo que você deve considerar para estar o mais protegido possível.


Tradução: Juliana Costa Santos Dias