Siga o Suporte Ninja por email

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Routers: Cinco formas de fechar a porta aos criminosos

Routers: Cinco formas de fechar a porta aos criminosos:


Ataques a Routers: Cinco formas de fechar a porta aos criminosos

Os cibercriminosos procuram sempre pelo ponto mais fraco quando planeiam os seus ataques – quer seja um erro humano, uma palavra-passe fraca ou a abertura de emails
de phishing. Porém, os dispositivos que praticamente todos temos em
casa, os routers, não ficam de fora desta lista e podem representar um
ponto de entrada.

Os diversos ataques a routers ocorridos no ano passado, revelaram que
estes dispositivos podem conter “backdoors” que permitem aos atacantes
acederem aos seus dados privados. Assim que se tornam conhecidas, estas informações circulam rapidamente entre organizações criminosas.


Mas o problema não reside apenas nas backdoor. Um estudo
que envolveu 653 profissionais de TI e de segurança e 1.009
trabalhadores remotos constatou que 30% dos profissionais de TI e 46%
dos trabalhadores remotos não alteraram as palavras-passe padrão nos
seus routers – um dos passos mais importantes a efectuar para evitar ter
graves problemas.


Para já os ataques a routers são um fenómeno novo e em desenvolvimento – mas com 300.000 routers a serem transformados numa botnet e a poderem ler os dados das máquinas ligadas a eles, vale a pena proteger o seu.


Não deixe o seu nome de utilizador como ‘admin’

O primeiro e mais importante passo é mudar as credenciais de acesso ao seu router.
Estes dispositivos possuem uma página de administração web onde é
possível alterar-se estas informações. Os nomes de utilizador e
palavras-passe por defeito de cada router são familiares aos atacantes,
pelo que deixei as informações por defeito, nunca é uma boa decisão.


Para segurança extra, altere o firmware

Um estudo recente revelou que cerca de 80% dos routers mais vendidos na Amazon
para pequenos escritórios ou casa possuem vulnerabilidades “críticas”
conhecidas, tornando-os presas fáceis para os cibercriminosos. Para o
investigador da ESET, Olivier Bilodeau “será uma boa ideia a instalação
de firmware alternativo open-source no router, embora possa ser uma
tarefa com um nível de dificuldade mais avançado.” Consistem em versões
de substituição do firmware oficial – em muitos casos mais seguras. A
questão é que em alguns casos não é fácil proceder-se a esta alteração.


Segundo Bilodeau, “Por vezes, os problemas de segurança com o
firmware são tão maus que as empresas estão agora a disponibilizar
routers com o firmware dd-wrt pré-instalado. A Buffalo já o está a fazer
– e eventualmente outros seguirão esta tendência”.


Ainda segundo este investigador da ESET, existem diversas alternativas sendo que a mais populares e seguras são:


http://www.polarcloud.com/tomato


DD-WRT: http://www.dd-wrt.com/site/index


Open-WRT: https://openwrt.org/


Certifique-se que o seu router ainda garante a sua segurança

Os routers são dispositivos normalmente confiáveis – porém se o seu
já é muito antigo pode permitir que os cibercriminosos contornem as
protecções WiFi de forma simples. Os routers mais antigos com
encriptação WEP estão vulneráveis. Verifique a página de definições da
rede WiFi. Se estiver a utilizar encriptação WEP mude para uma opção
mais segura, como WPA. Se não estiver disponível, deverá adquirir um
novo router.


Não diga aos vizinhos o seu nome

As redes Wi-Fi
têm um determinado nome de rede – conhecido como SSID – sendo que a
maioria dos routers utilizam um nome padrão, que revela instantaneamente
a um potencial invasor
o modelo que está a usar (o nome geralmente inclui a marca). Para um
potencial invasor – de olho num pequeno negócio – esta é uma informação
útil. Alguns modelos possuem vulnerabilidades que tornam simples os
ataques a routers, e estas são muitas vezes amplamente conhecidas entre
as comunidades criminais. Um investigador descobriu no ano passado que
os routers mais populares, como os da Linksys e Netgear, tinham uma vulnerabilidade que poderia permitir aos cibercriminosos “pleno acesso” a redes domésticas, possibilitando o roubo
de identidade ou pior. Vale a pena transformar a sua rede numa rede
oculta, ou seja, desativar a transmissão do nome de SSID. Desta forma,
estará menos visível para os atacantes – e para ligar novos
dispositivos, bastará digitar o nome da sua rede no gadget que pretende
ligar à Internet.


Saiba quem se liga à sua rede

Qualquer PC ou dispositivo móvel possui um número de identificação
único, conhecido como endereço MAC. Se aceder as configurações do seu
router, poderá selecionar quais os dispositivos que podem ou não
ligar-se à sua rede. Isto significa, por exemplo, que um vizinho não
poderia entrar na sua rede.


Adicione os endereços MAC de todos os dispositivos autorizados dentro da sua casa – iPhones, tablets,
notebooks, etc. Nenhum outro dispositivo, deverá ser permitido na rede.
Pode encontrar os endereços MAC de smartphones e outros dispositivos
nas configurações de rede.